sexta-feira, junho 18, 2010

Portugal...

Vivemos tempos iguais a tantos outros. Os males de que enferma a democracia atravessaram séculos e este sistema político só (re) surge como oposição às monarquias de cariz absoluto. Trocámos a caca pelo cocó!
Em boa verdade a democracia só nos trouxe, ao contrário dos estados ditatoriais, a possibilidade de denominar publicamente de aldrabões, vigaristas, pantomineiros e chulos, aqueles que nos governam sem que para isso sejamos presos e sujeitos a tortura. A única virtude que a democracia trouxe aos mexilhões é que podem chamar aos tubarões o que lhes aprouver, que nada lhes sucede porque os tubarões sabem que o são e agem como tal impunemente.
Vejamos alguns exemplos:
Um primeiro-ministro, seja ou não engenheiro – porque há por aí muitos a quem o canudo, o verdadeiro, só lhes tapa o tamanho das orelhas – permite-se mentir ou aplicar a régua lésbica a factos ocorridos de facto sem que nada ouse beliscá-lo.
Um ministro faz o sinal de “cornos” com os dedos a um deputado e sai do governo. Um primeiro-ministro chama não sei o quê à tia de um deputado e fica. Deputado esse que nomeou a sua mãe para sua assessora com a bonita idade de 79 anos. É a “Esquerda caviar” no seu melhor.
Afinal só seguiram o exemplo do PM que só “arranjou” uma reforma para a sua mãe.
O meu querido avô tinha razão do alto da sua iliteracia e analfabetismo, mas de rigorosíssimo saber empírico, quando afirmava que “Os políticos são como os porcos num chiqueiro. Entram para engordar e só saem para dar lugar a outros. Só que os porcos vão para a matança…”
Foram atribuídos a gestores públicos prémios de gestão quando os institutos que geriram deram prejuízo ou não geraram receitas. Na minha terra a isso chama-se incompetência. Em Lisboa premeia-se.
Foram aumentados os impostos para fazer face a uma crise que não causámos mas os de vencimentos chorudos só perderão 5% do vencimento, mantendo os subsídios e as mordomias adjacentes.
Onde anda a consciência colectiva? Que mensagem damos às novas gerações? É simples. Consciência colectiva não há porque cultivamos há mais de duas décadas o individualismo. Para as novas gerações estamos a passar a mensagem de que não é necessário estudar porque haverá sempre uma universidade ou confraria, seja ela maçónica ou afecta opus gay, pronta a fornecer um diploma que conceda o grau de Dr., Eng.º, Arquitecto ou o que quer que seja, em qualquer dia da semana, por qualquer meio telemático.
Não nos podemos queixar dos políticos que temos porque estão legitimamente eleitos. Não são eles os culpados do estado em que estamos. Somos nós, os votantes, que baixámos a fasquia da exigência da qualidade.
Ser-se paradigma de bom cidadão é saber fugir aos impostos, aldrabar o próximo, fugir a penhoras e execuções, viver à grande e ter direito a livros pelo SASE, ainda que se vá buscar os filhos à escola de BMW da série 5. É ter direito a dois ou três subsídios do estado e deter plasmas de € 2.000,00, carros de acima dos € 30.000,00 e viver em bairros sociais.
Preocupamo-nos com os casamentos gay em vez de nos preocuparmos com os casamentos dos grandes potentados económicos que nos deixarão mais e cada vez mais de rastos. Sócrates tinha razão. Não este que nos governa, por que apesar do nome, qualquer comparação seria o mesmo que chamar Ferrari a um Fiat 600. Refiro-me ao outro o da antiguidade que já clamava pelos honestos:
“O perigo de não participarem na política é o serem governados por medíocres!”
Justiça social? O que é a justiça nos dias de hoje? Que conceito há de Sociedade?
Voltarei… breve!

11 Comments:

Blogger Teresa Alves de Azevedo said...

´Que alegria tê-lo de volta!!

18 junho, 2010 21:49  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

bem regressado e com um texto que li, de um folego.

um abraço

20 junho, 2010 21:09  
Blogger ALG said...

Há quanto tempo, Manel!!!!

Bem vindo, de novo, Abraço.

21 junho, 2010 22:41  
Blogger O Transmontano said...

Grande Bambino!!!! Só não direi que estiveste muito tempo ausente porque te falo, te oiço e muitas vezes te aborreço com perguntas ou com pedidos de ajuda. Para tudo isso, um abraço, porque, como tu dizes, aos amigos não agradecemos.
Bem, um texto à medida. E já agora deixa-me acrescentar o seguinte: - Estes parasitas da CGA, sabem fazer contas para retirar dinheiro mas, não as sabem fazer para restituir ao aposentado o que lhe roubam mensalmente. Depois, tem uns tantos chulos que dão a Manéis Alegres as pensões que nem eles esperavam e são lestos a actualizar todas as pensões de outros tantos chulos que provavelmente nem a ela (reforma) teriam direito.
É esta a Aldeia do Magrebe a quem um dia o zarolho Camões, chamou Pátria. Esqueceu-se foi dos filhos, da Pátria, claro. Um abraço e até breve.
Saúde e sorte para a tua família.

22 junho, 2010 19:39  
Blogger Mário Relvas said...

Olha o Manel. Mais um interessante texto para pensar. Pensemos então e volta...breve!

abraço

13 agosto, 2010 19:08  
Blogger Razek Seravhat said...

Não se ofenda e também não entenda como um elogio: seu tom esfacelado beirando ao neomodernismo é assustador.

Com relação a frase do seu sábio avô eu diria que participar da política é necessário, do contrário ficaremos sempre reféns de porcos que não vão ao matadouro.

Ternura sempre!

19 agosto, 2010 18:25  
Blogger DIGNIDADE said...

Olá Manel!
Que prazer relê-lo e revisitá-lo!
Abraço, Helena

28 agosto, 2010 23:16  
Blogger Maria Valadas said...

Seriamente já tinha pensado em si!
Gostava imenso das suas narrativas, as quais seguia atentamente.
Dois anos de ausência... mesmo assim não esqueci o Manel, tal como eu, Alentejana de nascimento e com mt orgulho de o ser.

Foi mesmo um prazer, tê-lo encontrado por aqui.

Abraço Alentejano

Maria

01 setembro, 2010 04:04  
Blogger Maria. N. P. A. said...

"Onde anda a consciência colectiva?"


Peço-lhe perdão por ter copiado do seu próprio Blogue esta pergunta, mas não resisti a uma gargalhada das boas...!
"Consciência colectiva"...! Vemo-la por aí a cada canto, a cada esquina, em cada casa, (menos em jardins...), quando nos dizem com um ar importante que vão votar no partido A, ou partido B, para marcar a "sua" posição como se na contagem de votos ficasse escrito que o "Manel e a Maria" votaram no partido A ou B porque que este ou aquele partido não lhes agrada.
Ninguém entende, que ao votar não demonstra a "sua" posição mas sim que concorda com a governação deste triste País que é o nosso e que por culpa daqueles que "marcam a sua posição" rapidamente vão ajudando a afogar.
Até ao dia em que "lá de cima" nos digam: "Vocês não sabem governar... e somos nós que vamos tomar conta das rédias da vossa carroça, explorar a vossa Costa, totalmente o vosso pescado, acabar com os vossos incêndios, plantar florestas como nós temos e vocês... afoguem-se, único caminho que podem seguir.
A consciência colectiva...! O que é isso?
Maria N. P. A.

24 setembro, 2010 18:05  
Blogger Fluzão Eterno said...

Tenho um blog sobre curiosidades e gostaria de saber de você se haveria a possibilidade de você me ajudar
colocando o link do meu blog no seu e eu faria o mesmo com o seu,meu nome é Luciano e sou Bombeiro Militar
no Rio de Janeiro,
parabéns pelo trabalho que vem fazendo com seu blog e fico aguardadando sua resposta

Curiosidades
http://centraldascuriosidade.blogspot.com/

Tenho um blog também sobre bombeiros
Vida de bombeiro
http://www.heroisdavida.blogspot.com/

Mensagens e poemas:
Mensagens
http://centraldoamorvirtual.blogspot.com/

Meu time de coração,Fluminense:
Fluzão
http://fluzaoeterno.blogspot.com/

Visite os meus blogs e veja se pode me ajudar colocando o link de algum deles no seu,um abração

Caso tenha interesse entre em contato comigo pelo email lmturl@gmail.com,mandando mensagem em qualquer blog meu
ou pelo orkut http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=ls&uid=5076013500225631247

MSN; bombeiro_dorio@hotmail.com

13 outubro, 2010 18:02  
Blogger Menina Marota said...

É tempo de voltares!!!
Um abraço e o melhor 2011 possível.

09 janeiro, 2011 15:31  

Enviar um comentário

<< Home