quarta-feira, maio 17, 2006

Vox Populis

O poema popular em som de fundo, tal como na altura em que foi declamado, exprime o verdadeiro sentir de um povo cada vez mais esquecido pelos políticos a quem dá o barranhão onde eles todos comem. Por isso e só por isso o coloquei aqui. Assim sente o povo assalariado rural, reformado e pobre do meu Alentejo, que já só come sopa com “sustança” porque para a carne e para o peixe não há. Que raio, porque não chega o Banco Alimentar contra a Fome lá, ao Alentejo profundo?


Sobre o meu (re) escrito passado, que me desculpe a memória do Professor Rómulo de Carvalho, mas não resisti à comparação dos tempos e à actualidade da sua mensagem. Fi-lo por respeito, admiração e academismo puro, sem me justificar.
Se o tempo que viveu foi mais duro que o actual, do ponto de vista de regime político, não é menos verdade que tal estado de coisas permitia mudanças como a que veio a ser operada por militares e só por eles, no 25 de Abril de 1974.
Apesar da retórica republicana ir já reclamando para si a autoria daquele acto libertador, como aliás fizera na implantação da República, obliterando toda a coragem demonstrada pelos militares que em ambas as ocasiões pegaram em armas e marcaram o destino dum novo Portugal, a verdade é que no espaço de uma geração as figuras da revolução serão outras que não os verdadeiros obreiros dela.
Hoje, manietados e desacreditados, sem treino suficiente e desfalcados de lideres capazes, com o generalato de cócoras para o poder político, as quase inexistentes Forças Armadas serão incapazes de defender o solo pátrio contra abusos internos, quanto mais de ameaças externas.
Há trinta e dois anos que os funcionários públicos, os militares e os elementos das forças de segurança, têm pago as asneiras dos programas políticos dos diversos governos, atingindo um estado de degradação salarial e de autêntico sonegar dos direitos pensionistas para os quais descontaram uma vida inteira, ganhando por outro lado famas de ociosidade, vindas de sectores da comédia rasca e de outra mais elaborada, de laivos paneleirísticos, mas ambas grassando pelo país para gáudio de povo que foge da educação e da cultura como o diabo foge da cruz.


Após o 25 de Abril já morreram ao serviço de Portugal no estrangeiro alguns militares, enquanto no solo pátrio polícias mal armados e equipados, mas dotados de uma coragem inaudita, são baleados e mortos por uma criminalidade que o regime permitiu, negando sempre que ela existia. Pudera, junto das suas gaiolas douradas, com a mesma polícia à porta, não se passa nada.
Ainda há bem pouco tempo elementos da PSP compravam, no chamado Casão Militar, e do seu próprio bolso, “coletes à prova de bala”, por casualidade e só, todos eles eram da Esquadra da Amadora.
Mas o mal reside em que quando se atinge a democracia esta não pode ser derrubada pois é o sistema mais “justo”, assim rezam as teorias da sustentabilidade do sistema democrático. Derrubou-se o “fascismo do compadrio e dos grandes senhores do capital e latifundiários” para se instalar que democracia?
Acabaram os compadrios? – Perguntem quem são os quadros das empresas do estado.
Acabaram os favoritismos? – Onde trabalha a filha de um tal ministro e a fazer o quê?
Acabaram as “cunhas”? – As nomeações para tribunais superiores por pais a escolherem filhos para assessores diz tudo.
Acabaram os favores? – Quem é o novo assessor jurídico da EDP com 10.000 € mês?
Acabaram as injustiças? – Felgueiras, Avelino, Isaltino, Major Batatas, Apito dourado, Casa Pia, apropriação e politização da magistratura, PJ, Chefias militares…etc!


E quem são os culpados deste estado de coisas? É essa corja de funcionários públicos baixinhos, dos militares, esses chulos que agora se manifestam nas ruas, dos GNR’s que são corruptos na BT e os polícias que só querem gratificados. Estes são os grandes culpados, sim culpados, culpados por terem sustentado esses cagalhões no poder sem nunca se manifestarem a sério. Os primeiros paralisando por completo o país com uma greve a sério, os outros por deterem o maior poder reivindicativo que existe e só o usarem em missões ditas de paz, em policiamentos ou na perseguição de bandidos, nunca para derrubar quem os sodomiza diariamente e se cala quando deles ouve falar mal, detendo a tutela mas nunca saindo a terreiro em sua defesa, porquê será?
Porque me refiro só a estes? -
Porque são os índices da Função Pública mais baixos. O Anexo A à circular nº 1324 da Direcção Geral do Orçamento, não engana.
As gerações futuras que se cuidem que a história condenar-nos-á por nada ter-mos feito.

31 Comments:

Blogger Princesola said...

È com prazer que deixo o primeiro comentário... Sempre muito bem escrito.
Bjs,

17 maio, 2006 10:02  
Blogger António Lisboa Gonçalves said...

A revolta com toda esta situação a que nos conduziram, às vezes dá-me vontade de saír à rua e fazer uns disparates. Já não consigo ouvir nem ver na televisão os discursos da nossa classe politíca, constantemente a fazerem-nos passar por ignorantes e mentecaptos, enquanto assistimos ao afundar do país. Os lobies, a corrupção, o compadrio, etc. são os "valores" que imperam e concordo em absoluto, as gerações futuras não nos vão perdoar se nada fizermos!
Já é tempo de por fim a esta partidocracia e desmascarar estes péssimos actores de segunda categoria desta tragico-comédia!
Um abraço!

17 maio, 2006 12:02  
Blogger daalgempaKu said...

fazemos das palavras do Antonio Lisboa as nossas...
Este pais está um CAUS!!!

17 maio, 2006 12:06  
Blogger Menina_marota said...

A voz do Povo, não engana, dizia-me tantas vezes o meu Avô, que Deus tenha...

O grito de revolta que aqui deixas, não é mais do que aquilo que muitos pensam, mas não têm a coragem de admitir e dizer alto. Porque muita gente, continua ainda com medo de falar, porque têm medo de perder os lugares que ocupam, ou porque alguém da família pode ser prejudicado...

Já tenho ouvido pessoas, afectas ao partido A ou B, dizer que gostariam de ter coragem para falar, nas não podem, porque não vão desgraçar a vida do genro ou do filho ou de outro familiar qualquer. Porque se falam, "eles" vingam-se nos familiares...

E, assim continuamos numa política, do salve-se quem puder... porque acredito que, qualquer dia, nem escrever o que queremos podemos, sem sermos incomodados...

Deixo-te o meu abraço e a minha solidariedade.

17 maio, 2006 14:59  
Blogger Henrique Santos said...

Manel,
Depois dum interregno forçado voltei aos meus sítios preferidos. Na "Marotice..." pus lá esta msg:
Olá,
Que belo poema do meu amigo Manel... Fizeste bem em reproduzi-lo, pois nunca é demais apreciar esta sensibilidade e esta afirmação de BEM p'rá VIDA de todos nós...
Obrigada e depois dum tempito inoperacional aqui estou p'ra voltar às lides...
Bjinhos RICKY
Um abração, meu caro amigo,
Ricky

17 maio, 2006 17:20  
Blogger a sua vizinha said...

Ó vizinho Mane, isso é que via uma cagada em três actos! Faz vocemecê muito bem em aliviar a tripa! Atão veja lá se a sua vizinha está interessada nas minhas conversas, pois atão!

Um abraço da Diólinda

17 maio, 2006 17:47  
Blogger Alma de Poeta said...

Não conhecia o poema declamado , pode-se dizer que é sempre actual.
Bom post. Parabéns pelo blog

17 maio, 2006 21:56  
Blogger lazuli said...

desculpa-me..ainda não assimilei inteiramente o texto, porque me distraí com a voz.
Tem muito que se lhe diga.)

18 maio, 2006 00:22  
Blogger carlos said...

Bem colega, é verdade...ainda ando de testes, mas daqui a 2 semanas começam esses exames...vamos ver como acabo o 2º ano, espero que bem...
Um abraço e muito obrigado...
Carlos Costa Luís

18 maio, 2006 11:45  
Blogger O Transmontano said...

Grande Maneli!!!
Mas que grande poema e que bem declamado ele está!!!
Porra!!! Só tenho pena de que os teus textos e este Poema, as tuas músicas e toda a tua intervenção nesta net, não tenha reflexos positivos, que é como quem diz, reflexos de revolta que faça esta gente medíocre e cobarde, parar para pensar e dizer a esta cambada de "filhos da putlíticos" que estamos fartos e que já são horas de fazer uma nova revolução e agora sim, metê-los no Campo Pequeno, para um grande espectáculo de tauromaquia, onde a Pega da Noite, pudesse ser feita por ti, com a banda a tocar um verdadeiro pasodoble.
E depois, bem depois, podias fazer o favor de me deixar a mim, proceder à devida e última estocada que deixasse aquela escomalha finar-se numa Praça que depois teria necessàriamente de ser desinfectada e limpa, pois, com tanta merda junta, tempos levaria a ser banida....
Um grande abraço grande amigo.

18 maio, 2006 16:21  
Blogger TMara said...

curioso como este texto "ficcional" tão bem se ajusta - parece feito por encomenda e medida, no melhor alfaiate - ao meu país....espantoso!!!!
Bj, amigo

19 maio, 2006 02:36  
Blogger Aluap said...

Mais um texto espectacular mas ao mesmo tempo tive uma dificuldade enorme em me concentrar porque as decimas declamadas fizeram com que estivesse numa gargalhada pegada. Parabéns está demais.
Beijinhos;-)
Paula Luis

19 maio, 2006 08:27  
Blogger Micas said...

Achei este texto magnifíco pela escolha das palavras e pela realidade dos factos.
Era muito miuda qd se deu o 25 de Abril, o que sei sobre o "antes" bebo-o aqui e ali. Pelas informações que tenho, foi realmente uma pagina negra da nossa história, contudo, pelos factos que hoje se vivem no nosso país e comparando com o país onde vivo, creio que o povo português está a desperdiçar a Liberdade que tanto custou alcançar, às vezes parece-me que o povo anda desorientado, contradizendo os pensamentos com os actos. Infelizmente, creio que Portugal nunca irá evoluir muito, enquanto a maioria dos Portugueses não mudar a mentalidade. É urgente mudarem-se as mentalidades, mas isto é só uma opinião de alguém que está fora, perdoa-me a ignorãncia se não entendi o texto.
Beijo e bom fim de semana

19 maio, 2006 15:23  
Blogger Lumife said...

Só o ser mais alheio a tudo que o cerca poderá ficar indiferente às realidades aqui expostas. Não é que não sejam do conhecimento geral mas tudo que se ouve e se vê parece não ser connosco.
Estaremos anestesiados ?
É preciso gritar bem alto para que todos acordemos da letargia em que se vive.
A tua palavra, Compadre, é cada vez mais necessária.

Um abraço.

19 maio, 2006 16:18  
Blogger lena said...

Manel li e nem consigo comentar, tal a força da tua "voz" que chegou até mim

revolta sim, como revolta

se estivesse ao teu lado queria abraçar-te

um abraço de verdade

mesmo longe, vai o meu abraço e concordo com tudo o que aqui foi escrito por ti,
assino por baixo, pudesse ser este um manifesto,
grito com a minha voz, que junto à tua e leio alto o Anexo A à circular nº 1324 da Direcção Geral do Orçamento


virei aqui mais vezes ler este teu artigo e comentarei

um abraço meu querido amigo, beijinhos muitos para ti

lena

19 maio, 2006 20:34  
Blogger menina graça said...

Uma voz forte a tua, a denunciar toda a iniquidade que grassa neste país.

20 maio, 2006 22:11  
Blogger Anne said...

a situação está que necessita urgente de tomada de postura, decisões e ações concretas e que resolvam de vez esse caos em que estamos inseridos, todos nós somos resposnáveis direta ou indiretamente por tudo isso e se não fizermos nada, se continuarmos apáticos diante de tudo isso, o que será do futuro de nossos filhos, que país e que leis estaremos deixando para eles?
gostei muito do seu blog, encontrei-o no site da campanha dos desaparecidos e resolvi passar aqui para conhecer, tal que nao me arrependi e gostei demais. vou linkar seu blog no meu para nao perder de ler seus excelentes textos. bjo, bom domingo.
Ahhh
só permite comentários de blogger, vou fazer por um blog de teste que tenho no blogspot, mas meu endereço real é este aqui
http://love-memory.org/blog caso queira visitar-me.

21 maio, 2006 09:19  
Blogger adesenhar said...

pois é Manel

até quando!

Não acrescento mais nada, o teu post diz tudo!.

Mamma Summae

abraço manel

21 maio, 2006 18:08  
Blogger maria said...

Pois é, como diz quem comentou antes, está tudo aqui (aliás como costuma estar em todos os temas que tocas nos teus posts)...Tens o condão de ir ao fundo das qestões sem teias nem peias...
Um beijo, Manel

21 maio, 2006 18:43  
Blogger canela_e_jasmim said...

Boa tarde, Manel do Montado,
tenho-te visto a comentar em blogs que tb visito , e, como é Domingo, vim passeando, por esse país fora, até ao teu monte. Tens cabeça e opinião pessoal. Sim, senhor! Isso é muito bom. Gostei e vou voltar, se não for muito incómodo.
Um abraço

21 maio, 2006 19:16  
Blogger Flávia said...

Manel, escrevi uma resposta a seu comentário. Aí, como desparei a escrever, publiquei como post. Dê uma olhadinha.... Morro de medo de escrever abobrinha. Gostaria que tu desses uma olhadinha lá, e qlq coisa me avisa rápido, que já corrijo logo....hehehehe.
Obrigada pela oportunidade de refletir melhor.
Beijos

21 maio, 2006 19:18  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

Pois é, está tudo escrito...

21 maio, 2006 19:52  
Blogger Arte em Movimento said...

Mais uma vez estou aqui a (re)ler este blog. Porque me sinto em casa e me fala do meu Alentejo profundo, da sua gente.
Aqui à cheiros que eu não esqueci.
Bem aja Manel do Montado!

22 maio, 2006 14:51  
Blogger Menina_marota said...

Vim deixar-te um abraço, porque me apetece simplesmente abraçar aqueles de quem gosto na Blogosfera.

E, porque hoje brilha mais uma Estrela no Céu... deixo aqui expressa a minha sentida saudade

Abraço-te

24 maio, 2006 00:14  
Blogger Doutor X / Elisabete said...

HOJE O POST É SOBRE LIBERDADE. LEIA E OPINE. BJS A TI. BÉ

25 maio, 2006 19:01  
Blogger Lumife said...

Pois bem, teremos mesmo de nos encontrarmos e venha de lá esse caneco do tinto...

Bom fim de semana

Um abraço

25 maio, 2006 19:03  
Blogger Henrique Santos said...

Manel,
Não consigo entrar na msg devida. Que fala dos funcionários. Concordo com ela, e acrescento é pela incompetência que tudo acontece. Para meditares dou-te esta informação:
Assunto: Funcionalismo Público


Percentagem dos Funcionários Públicos na População Activa

Suécia
33.3

Dinamarca
30.4

Bélgica
28.8

Reino Unido
27.4

Finlândia
26.4

Holanda
25.9

França
24.6

Alemanha
24.0

Hungria
22.0

Eslováquia
21.4

Austria
20.9

Grécia
20.6

Irlanda
20.6

Polónia
19.8

Itália
19.2

Rep Checa
19.2

Portugal
17.9

Espanha
17.2

Luxemburgo
16.0

Dados de 2004 - Fonte Eurostat

26 maio, 2006 16:45  
Blogger Henrique Santos said...

Afinal agora consegui entrar. na msg anterior eu te dizia que concordo contigo em absoluta. Aí te mando umas notas:
Assunto: Funcionalismo Público


Percentagem dos Funcionários Públicos na População Activa

Suécia
33.3

Dinamarca
30.4

Bélgica
28.8

Reino Unido
27.4

Finlândia
26.4

Holanda
25.9

França
24.6

Alemanha
24.0

Hungria
22.0

Eslováquia
21.4

Austria
20.9

Grécia
20.6

Irlanda
20.6

Polónia
19.8

Itália
19.2

Rep Checa
19.2

Portugal
17.9

Espanha
17.2

Luxemburgo
16.0

Dados de 2004 - Fonte Eurostat




Um abraço Ricky

26 maio, 2006 16:49  
Blogger TMara said...

bom f.s amigo.
bj fraterno.

26 maio, 2006 17:11  
Blogger Titas said...

ai como eu gostaria de saber escrever cronicas como tu! Ve-me so a diferença ... comparando com o que escrevi hoje la na casota.

Bom.... parto para a tua querida Croacia, tentarei escrever de la.

beijo

26 maio, 2006 17:24  
Blogger paper life said...

AHAHAH, hoje nã te ligo à crónica.

Fico-me pelo som!!!

Beijo Grande.

M

27 maio, 2006 00:48  

Enviar um comentário

<< Home