segunda-feira, fevereiro 13, 2006

O Bode Expiatório

Recentemente o mundo islâmico em geral e o de cariz radical em particular, insurgiu-se, qual onda de ódio anti ocidental, contra a publicação de caricaturas do seu profeta. Afirmo-o sem medos, a grande maioria dos muçulmanos não é assim, apesar de não nutrir grande simpatia pelos ocidentais. Vivi o suficiente entre eles para o saber e, mais que tudo, sentir-lhes a hostilidade radicada num ódio ou desconfiança ancestral, sem explicação. Toleram-nos, julgam-se superiores moral e religiosamente, não nos apresentam as suas famílias, proíbem casamentos entre não muçulmanos e muçulmanos, ou vice-versa, a não ser que haja conversão ou fuga de um deles. Acham-nos infiéis (à sua religião, claro), e, como tal, não somos dignos de entrar na sua intimidade, a não ser por relações comerciais. Na sua religião, que nunca adoptarei pelos valores que estimo, só os homens têm direitos absolutos, até o filho varão é, no seio da família e da sociedade, hierarquicamente superior à sua mãe.
O que aqui vos relato não é produto de nenhum site racista, xenófobo ou anti muçulmano, é fruto de uma experiência pessoal de passagem por vários países muçulmanos, árabes e não árabes, e de seis meses na Bósnia-Herzegovina, onde contactei não só com muçulmanos bósnios, outrossim com árabes muçulmanos oriundos de todo o mundo árabe e que vieram para os Balcãs fazer a Jihad ou guerra santa. Não vieram em ajuda dos seus irmãos muçulmanos, vieram fazer uma guerra santa contra tudo o que era não muçulmano. Disseram-mo, aliás, cuspiram-mo na cara, literalmente.
O Islão proíbe o consumo de drogas, mas aceita pacificamente o seu cultivo e posterior tráfico para o ocidente. É a Hadith, ou tradição islâmica. É assim no Afeganistão e com o beneplácito das Nações Unidas.
“Estamos gradualmente a substituir a produção de ópio nas áreas rurais deste país, mas tal, como compreenderão, é um processo que leva anos e a produção de papoilas também serve propósitos médicos”. Palavras do Secretário-Geral da ONU em Abril de 2005 (sic).
Então a papoila serve propósitos médicos no Afeganistão e a folha de coca, já mascada há séculos pelos Maias, Incas, Aztecas e outros povos oriundos da América do Sul, não serve os mesmos propósitos?
O Islão condena o álcool, mas vi diplomatas árabes, que por serem chefes tribais são também líderes religiosos, pedirem sumo de tomate mas o barman ter ordens de lhes servir bloody-Mary e não fazer perguntas. Da mesma forma, quando pediam chá, estranhamente não lhes chegava á mesa a fumegar, pois a cor é extraordinariamente similar à do Scotch. Não, não é produto da minha imaginação, acontecia amiúde num Hotel de uma cadeia propriedade de uma família saudita.


Estou farto da atitude complexada e de complacência do mundo ocidental face a um radicalismo islâmico que mantém povos num estádio de quase iletracia, dominando-os pelo obscurantismo em detrimento de uma educação escolar e cientifica que faria cair dogmas religiosos como sucedeu no ocidente. Conheci médicos árabes e muçulmanos, ao serviço da ONU, que se ofereciam para qualquer local do mundo para poderem ser médicos a sério, uma vez que nos seus países a praxis médica era limitada à vontade do imã. Na Bósnia foi-me dito frequentemente por muçulmanos mais radicais, que quando a guerra acabasse iriam lavar e pintar de novo os locais onde tinham estado forças da ONU, amigas mas infiéis. Foi-nos dito a nós, que estávamos ali para assegurar que os sérvios não lhes dessem cabo do canastro. Nós, os soldados azuis, alguns dos quais, não poucos, que morreram, ficaram estropiados e/ou marcados psicologicamente para garantir a paz naquela terra a energúmenos que recebiam num dia ajuda alimentar internacional e no outro a vendiam em mercados, sem mesmo lhes retirar o rótulo de Humanitary Aid, enquanto os filhos e a (s) mulher (es) se satisfaziam com um magro caldo e leite em pó. Eu vi, não me contaram.

Muitas das atrocidades cometidas sobre populações sérvias foram perpetradas por Mdjaedinh, ou guerreiros do Islão, que chegaram à Bósnia-Herzegovina vindos de todo o mundo árabe via Albânia, com o conhecimento mas um olhar para o lado da OTAN, EU e ONU. Relatávamos frequentemente os seus movimentos em montanha, mas recebíamos ordem para não interferir, até porque eram fáceis de seguir e encontrar em qualquer altura. O cheiro, ou outras vezes o ruído, denunciava-os, uma vez que se untam com óleos de cheiro forte, assim como oram cinco vezes ao dia virados para Meca e a ladainha ouve-se à distância.
Qual o resultado de a Palestina receber por ano em ajuda internacional mais do que o orçamento geral do estado português? Desenvolvimento? Educação? Hospitais? Não, bombistas suicidas e terroristas internacionais, isto é, a ajuda monetária internacional não só enche os bolsos dos corruptos governantes árabes, como também forma terroristas que causaram os 11 de Setembro e de Março, os atentados de Bali e a morte do sargento João Roma Pereira.
Os políticos ocidentais que se deixem de por de cócoras por interesse petrolífero, que cortem as torrentes de dinheiro dos nossos impostos que mantém cerca de 23 milhões de muçulmanos a viverem de subsídios de segurança social nos diversos países da União Europeia.
Quando voei para os Emiratos Árabes Unidos fui avisado para retirar o cordão de oiro com um crucifixo pois poderia ofender os locais. As mulheres ocidentais na Arábia saudita, Irão, EAU, e outros estados de índole religiosa governamental, são obrigadas a usar, contra sua vontade, véu em público e saias compridas. É este o respeito pelo direito à diferença? Não, é mera imposição e castração de valores.


Esses desequilibrados mentais querem impor os seus costumes aos outros e não aceitam, como em França, que os shador ou lenço sejam retirados nas escolas?
Quem causou verdadeiramente esta onda de raiva rábica contra o ocidente? Foram as caricaturas? Não, a causa é mais profunda e radica simplesmente numa negação dos valores de igualdade e liberdade inerentes às sociedades ocidentais.
O Islão radical mata em nome do profeta, manda para uma morte suicida, em nome do mesmo Maomé, a juventude pobre dos seus países. Acaso algum filho de líder da OLP, Hamas, Hezbolah, ou de algum outro líder religioso já se sacrificou pelo profeta?
O mesmo Islão que interpreta mal, muito mal mesmo, os ensinamentos do profeta, usando o seu nome para assassinar cobardemente, vê-se agora chocado com a publicação de uma caricatura de Maomé com um turbante em forma de bomba?
Quem transmitiu essa imagem de inspiração dada pelo profeta aos suicidas bombistas? Foi o cartoonista Dinamarquês? Está na hora de o ocidente deixar claro ao mundo árabe que não tolera mais ataques aos seus valores e que se insurgirá contra o assassinato de cidadãos ocidentais em nome de um deturpado uso da fé.
Jamais poderei esquecer o júbilo no mundo árabe com o ataque às torres gémeas, à estação de Atocha, irradiando satisfação pela morte de inocentes. Em Portugal, as autoridades, apesar da Reserva de Ordem Pública Internacional do Estado Português, contida no Art.º 22º do Código Civil, sabem que há muçulmanos que vivem com mais de uma esposa, só que como declaram que as outras são primas, fecha-se os olhos.
Façam lá uma dessas no mundo árabe e depois saberão o que é tolerância zero.
Pela parte que me toca já me custou engolir a morte de um camarada cobardemente assassinado no Afeganistão e, se a força das coisas o impuser, facilmente, muito facilmente mesmo, troco a toga pelo gládio e honrarei, com o sacrifício da própria vida, se caso for, as gentes lusas que conquistaram este cantinho aos mouros.

48 Comments:

Blogger adesenhar said...

depois de ler o teu texto pouco ou nada poderei acrescentar, apenas que fiquei mais esclarecido, sobre esta dura realidade e que concordo contigo

mama sumae

:)

14 fevereiro, 2006 00:17  
Blogger TMara said...

voltarei para ler. agora deixo só dito k o encontro em santarém n/ é só p/ quem escreve poesia mas p7 quem a ama.
bjs de luz e paz. P,s _ finalmente actualizei 2 dos mes blogues: estranhos dias e balão. Boa semana

14 fevereiro, 2006 10:05  
Blogger Isabel-F. said...

...claro que os Cartoons foram um pretexto...

conheço-os bem...e sei do que são capazes...mesmo não sendo extremistas...

bj

14 fevereiro, 2006 13:26  
Blogger António Lisboa Gonçalves said...

Está tudo (muito bem) dito, caro Manel. Também eu estou farto de tanta intolerância por parte de quem, em nome de uma fé e de um profeta, comete tantas afrontas aos outros a começar pelos proprios fiéis. Já não há pachorra, portanto se for necessário mais um gládio o meu também estará disponível.
Um abraço.

14 fevereiro, 2006 13:50  
Blogger Menina_marota said...

Desculpa a ausência... mas há momentos e factos da Vida, que o recolhimento é o melhor que podemos fazer por nós próprios.
Li o teu texto com atenção, até porque ler-te, é sempre uma lição de Vida.
Considero quase profano que em nome de algo que se considere sagrado, se cometem tantas agressividades.
Considero quase infame, que em nome de algo se transforme a Vida de outrém num inferno...

... mas agora, não quero dizer mais nada. Quero ficar aqui quieta a ouvir a música que nos ofereces e, deixar-te uym abraço carinhoso de Boa Noite...

;)

14 fevereiro, 2006 23:54  
Blogger lazuli said...

Demolidor. Faltava um texto como este, sem papas na língua, que diz preto no branco o que muitos pensam e por pudor "intelectual" não exprimem.
Gostei muito de te ler, és de leitura obrigatória desde que descobri este lugar frontal, aberto e coerente.

Um beijo, Manel

15 fevereiro, 2006 02:25  
Blogger TMara said...

demolidor, li a 1º palavra acima...
Voltei para te ler, com tempo (k n/ tenho tido ultimamente). E li.
E desde k por estes espaços te conheço aprendi a respeitar-te intelectualmente, pela cultura em k fundamentas o k escreves, pela clareza de raciocínio, pela ojectividade k manténs.
E sei k falas de experi~encia feita, de situações vividas no terreno, lado a lado com uns e outros. Única forma de se conhecer e poder falar. Mas ficou-me uma tristeza tão grande k nem sei explicar.
Sei, historicamente, k os muçulmanos não eram assim, não impunham a sua religião nem princípios aos outros povos, mm qnd subjugados territorialemnte; não impunham nem proibiam as outras religiões, viviam, coabitavam serenamente. assim era por cá e no El-Andaluz; assim era em Jerusalém até k, à traição
os cruzados fizeram a terrível matança k inicou as guerras "santas".
E a minha tristeza cresce, pq sei a verdade das coisas k afirmas....Mss como começas o texto? separas as águas. Não há só um mundo muçulmano....
Dizes dos casamentos:«...proíbem casamentos entre não muçulmanos e muçulmanos, ou vice-versa, a não ser que haja conversão ou fuga de um deles.8...)»
E os ciganos e os israeliats não fazem o mesmo?

Sei k nemm udo é, nem pode ser justificável, muito menos desculpável, mas....doi-me este ódio k cada vez + se radicaliza e continuo a achar despropositado este filme das manif por causa das caricaturas, mas as caricaturasm, para mim, não têm desculpa. Vi as de um muçulmano orando e sendo sodomizado por um cão.....Vi 3,esta foi a 3ª. apaguei-as todas sem ver +.
Se somos livres e, em média, mais informados e cultos temos k saber k há limites éticos.
E não sei se as caricaturas terão sido assim a modos k o delírio irónico d eum cartooonista ou se encomenda. E tanto pode ter sido d eum lado como dooutro para acirrar ânimos. Pq só 4 meses e taldepois +e k se manifestam? Cheira tudo muito mal.
Boa semana. bjs de luz e paz

15 fevereiro, 2006 09:19  
Blogger Micas said...

Assino por baixo do que escreveste, tb eu aqui sou testemunha do que dizes. Já tenentender, história, tradição, sei lá, mas não consigo encontrar explicação para a falta de tolerãncia que existe no seio do mundo islâmico.
A dura e crua realidade que aqui retratas. Excelente Manel.
Beijinho

15 fevereiro, 2006 14:31  
Blogger Henrique Santos said...

Estou de acordo, apesar de ter amigos muçulmanos bem diferentes. Em Moçambique vivi uma realidade bem diferente da que descreves, lá não sentia essas diferenças tão marcadas. Até almoçava em algumas casas, e apesar de sentir distância dos familiares, sobretudo dos mais velhos, repulsa ou ódio nunca senti. O que não põe em causa a tua análise que como o meu antecessor, assinaria por baixo.
Um abração grande, Ricky

15 fevereiro, 2006 15:32  
Blogger marakoka said...

gostei de ler.te
voltarei mil vezes
jocas maradas

15 fevereiro, 2006 19:55  
Blogger lena said...

li-te ao som da música que nos ofereces

e concordo com o que li, posso assinar por baixo?

excelente o que escreveste e acredita que também não tenho nada conta raças ou credos

beijinhos meus

lena

15 fevereiro, 2006 22:20  
Blogger O Transmontano said...

Este texto, tal como todos os outros está soberbo....
De facto, quando a política é feita por hipócritas, nada mais produz que não seja hipocrisia.
Agora, à margem do texto, quero fazer um reparo...
Porque razão há blogger's que escutam música enquanto lêem os teus textos e eu não consigo?
Bem, ignorância minha, ou então falta-me alguma ferramenta!!??!!
Se houver algo que tenha que fazer, agradecia que me ensinasses...
Um abraço Manel...

16 fevereiro, 2006 20:06  
Blogger PiresF said...

Nada como conhecê-los, para se ter uma visão categórica das coisas.

18 fevereiro, 2006 14:37  
Blogger lena said...

voltei para te reler e continuo a achar que está excelente

um bom fim de semana para ti, num beijo meu

lena

18 fevereiro, 2006 16:29  
Blogger Menina_marota said...

"...Quem causou verdadeiramente esta onda de raiva rábica contra o ocidente? Foram as caricaturas? Não, a causa é mais profunda e radica simplesmente numa negação dos valores de igualdade e liberdade inerentes às sociedades ocidentais.
O Islão radical mata em nome do profeta, manda para uma morte suicida, em nome do mesmo Maomé, a juventude pobre dos seus países. Acaso algum filho de líder da OLP, Hamas, Hezbolah, ou de algum outro líder religioso já se sacrificou pelo profeta?..."

Como concordo com o teu texto!!

Um abraço e bom Domingo ;)

19 fevereiro, 2006 11:21  
Blogger paper life said...

Obrigada. Mamuel.

Bjs

Boa semana

19 fevereiro, 2006 22:51  
Blogger Isabel-F. said...

...passei a desejar-te uma boa semana...

bjs

20 fevereiro, 2006 12:25  
Blogger lena said...

boa semana para ti, vinha ler-te de novo, mas ainda tens o mesmo post que por sinal é excelente

beijinhos meus, amigo Manel

20 fevereiro, 2006 14:40  
Blogger Cristina said...

Olá,
Cada vez que aqui venho, fico a saber mais sobre a vida, através dos teus textos.
Adorei ler o que escreveste, e como alguns dizem, escreves sem papas na lingua, é assim mesmo.
Um beijinhu
P.s.
Obrigada por me perdoares a minha ausência heehee
:)

20 fevereiro, 2006 17:00  
Blogger TMara said...

wlafeBom f.s Bjs e ;)

20 fevereiro, 2006 19:04  
Blogger lazuli said...

boa noite, meu amigo..
Reler o teu texto e passear um pouco nas montanhas.

20 fevereiro, 2006 23:27  
Blogger Titas said...

Eu vi, não me contaram.
Que a voz nunca te doa, pois desmascarar é preciso.

Quedo-me pela Ave Maria de Schubert e problemas inerentes....

21 fevereiro, 2006 01:17  
Blogger Afrodite said...

e quanto aquilo de que falo hoje... nem pensar!

21 fevereiro, 2006 01:19  
Blogger Micas said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

22 fevereiro, 2006 10:36  
Blogger Micas said...

Voltei a re-ler este texto, está magnifíco, estás bem por dentro do assunto, é bom até que este texto fique durante mais algum tempo.

Obrigada pelas tuas sempre tão gentis palavras que deixas lá em casa :)

Beijinho e continuação de boa semana

22 fevereiro, 2006 10:38  
Blogger Maria Costa said...

um artigo esclarecedor e actual.

beijinhos.

22 fevereiro, 2006 13:35  
Blogger TMara said...

bjs manel.

23 fevereiro, 2006 10:50  
Blogger Doutor X / Elisabete said...

Menino, outro testemunho, caramba...e que braveza em defender seu povo...muito bem, bjs.

23 fevereiro, 2006 20:33  
Blogger Flávia said...

Aeeeeeeee, voltou finalmente!
Beijos e saudades.

25 fevereiro, 2006 03:05  
Blogger lazuli said...

manel, voltaste..
Foram dias memoráveis com ele, passávamos as noites a conversar á beira mar. Há memórias que valem todas as outras memórias que não vale a pena recordar. Muitos beijos. Fernanda guadalupe.

25 fevereiro, 2006 03:18  
Blogger Afrodite said...

És um querido! Afagas-me o ego (e o resto) como ninguém.

Por isso, (e não só)
§(~_~)§ um beijo da Afrodite
(uma carinha d'anjo num corpo espectacular, com tudo no sítio, muito dentro do prazo, sem aditivos nem silicones)

25 fevereiro, 2006 04:07  
Blogger vero said...

Olá Manuel...passei p deixar um beijinho***
Bom Carnaval... :)

25 fevereiro, 2006 10:26  
Blogger TMara said...

há quem tenha medo da penumbra....depois da penumbra vem a luz. K ela estaj contigo. Bom f.s Bjs e ;)

25 fevereiro, 2006 11:36  
Blogger paper life said...

Bom Carnaval. Bom ânimo.
Bjinhos
:)

25 fevereiro, 2006 13:06  
Blogger lena said...

deixo-te o meu abraço com muita ternura

beijinhos para ti meu amigo

lena

25 fevereiro, 2006 16:03  
Blogger Lumife said...

Através da Vida de Papel soube deste blog e como Alentejano aqui vim visitá-lo e deixar um abraço fraterno e convidá-lo a passar pelo Beja.

Voltarei.

25 fevereiro, 2006 20:57  
Blogger Marketeer said...

Conhece a cidade alentejana de Vendas Novas?

Temos a sua História e Património em Exposição na Geração VN.

Passe por lá!

26 fevereiro, 2006 11:44  
Blogger maria said...

Que nunca as palavras te doam, Manel, para falares sempre assim, inteiro de corpo e alma, desassombrado, não alinhado!!!
Gostava que fôssemos mais como tu...
Um beijo grande para ti

26 fevereiro, 2006 13:53  
Blogger Cristina said...

Passei para te desejar um Carnaval muito divertido
:)
Beijinhuu

26 fevereiro, 2006 17:33  
Blogger Alessandro_PPG said...

Olá! Estou divulgando o meu blogger: http://ilustrada-ppg.blogspot.com/ e meu site: http://www.ilustrada.ppg.br/ ! Colabore com o meu Webblogger clicando nos anúncios Google para eu adiquirir um domínio próprio! Abraços! Conto com sua com a sua colaboração! Abraços!

26 fevereiro, 2006 20:19  
Blogger Titas said...

meu querido, és um amor de rapaz, só lamento as casas que frequentas.
Falo, evidentemente, da desavergonhada que dá por nome de Afrodite ( vade rectro Satanás, t'arrenego Belzebú, ai jesus, cruzes canhoto, lagarto, lagarto, lagarto). Tu já te puseste bem(salvo seja)idiossincrasias daquela maníaca?

27 fevereiro, 2006 04:58  
Blogger Nina said...

Passei para te desejar um Bom Carnaval...Diverte-te MTOOOOOO

Beijinhossss :)

27 fevereiro, 2006 10:22  
Blogger Menina_marota said...

Vim aqui na esperança de ler-te... mas reli-te... essas palavras mágicas que acompanham essa música fabulosa...

... mas deixo-te outra no meu Blog... que te dedico...pela pessoa que és...

Um abraço carinhoso ;)

27 fevereiro, 2006 13:48  
Blogger Isabel-F. said...

...boa semana para ti


bjs

27 fevereiro, 2006 18:02  
Blogger TMara said...

bom feriado cumpadriiii.
Bjocas e bom feriado

28 fevereiro, 2006 08:08  
Blogger lena said...

vim sentir um pouco de ti as t«uas palavras

ouvir a tua música

deizar-te um beijo meu, com carinho

lena

28 fevereiro, 2006 16:21  
Blogger Doutor X / Elisabete said...

não sabia que o povo mulçumano tinha mais que uma mulher....bem interessante..mas que história..

abraços

dr x

02 março, 2006 17:32  
Blogger paper life said...

Atão comé que se passou o carnaval pelastuas bandas?

:)
Bjs

02 março, 2006 23:56  

Enviar um comentário

<< Home